Fale Saúde » Gravidez e reprodução » Sintomas de gravidez: 9 sinais importantes e quando aparecem

Sintomas de gravidez: 9 sinais importantes e quando aparecem

Os primeiros sinais de que um bebê está a caminho podem aparecer poucos dias após a concepção, mas se manifestam de forma diferente para cada mulher. Algumas notam um leve inchaço abdominal, outras sentem um cansaço mais evidente e há quem só desconfie da gestação quando a menstruação não acontece no dia esperado. 

Embora a melhor forma de confirmar a suspeita da gravidez seja por meio de testes (de farmácia, de sangue ou de urina) e, mais para frente, através de exame de ultrassom, algumas mudanças físicas podem ajudar no diagnóstico. Confira os 9 principais sintomas que sinalizam a gestação: 

1. Atraso menstrual 

A gravidez começa quando o zigoto se implanta no revestimento do útero da mulher. Assim que isso acontece, são enviados sinais químicos e há a produção de um hormônio chamado hCG, que dá o comando para que os ovários parem de secretar óvulos todos os meses. 

Como consequência, os ciclos menstruais são interrompidos e a mulher nota sua menstruação atrasar. Geralmente, esse atraso ocorre quatro semanas depois da concepção. 

sintomas de gravidez

2. Aumento no tamanho dos seios 

Por conta das mudanças hormonais, a mulher deve reparar um ligeiro aumento das mamas e, possivelmente, maior sensibilidade. As alterações nos seios costumam aparecer entre a quarta e a sexta semana e continuar ao longo da gestação, com mudanças também nas auréolas, que ficam mais escuras e mais largas.  

- PUBLICIDADE -

3. Vontade de fazer xixi mais vezes ao dia 

Para se preparar para o crescimento do bebê, o útero comece a mudar de posição e faz maior pressão sobre a bexiga. Além disso, durante a gestação o corpo bombeia mais sangue e os rins precisam eliminar mais líquido que o normal. 

Esses fatores, em conjunto com as alterações hormonais, levam a mulher urinar com mais frequência.  

4. Enjoo 

A clássica cena da mulher que se sente enjoada e suspeita de gravidez não é à toa. Embora muitas não vivenciem o incômodo, as sensações de náusea, frequentemente acompanhadas de vômito, são bastante comuns e “sinais de alerta” para a gestação. O sintoma se desenvolve por volta da quarta semana e pode continuar ao longo do primeiro trimestre. 

5. Cansaço  

Com os níveis do hormônio progesterona mais altos, a mulher pode se sentir mais sonolenta e cansada. Além do mais, dores nos seios causadas pelo aumento de sensibilidade podem prejudicar o sono em um primeiro momento, gerando ainda mais cansaço. 
 

6. Prisão de ventre  

Outra consequência da atuação da progesterona é a redução do trânsito intestinal. Com uma lentificação da passagem do bolo fecal pelo sistema excretório até ser liberado na forma de fezes, a mulher pode ter prisão de ventre em algum grau. 

- PUBLICIDADE -

A constipação geralmente vem acompanhada de uma sensação de inchaço abdominal, que se manifesta durante o primeiro trimestre. 

7. Cólica e sangramentos 

O gradativo aumento do útero e início da vascularização para nutrir o feto levam a sintomas semelhantes aos da época pré-menstrual, como cólicas leves, que também podem ser resultado do acúmulo de gases.  

A mulher ainda pode experenciar pequenos sangramentos, na forma de escapes, decorrentes da implantação do embrião na parede uterina. 

8. Tontura 

No início da gestação ocorre uma pequena queda de pressão arterial por conta da dilatação dos vasos sanguíneos. Por isso, tonturas podem acontecer neste estágio. 

9. Aumento da temperatura corporal 

Os hormônios fazem com que os vasos sanguíneos se dilatem e haja um aumento discreto da temperatura corporal. Por isso, a mulher pode sentir mais calor e transpirar mais do que o normal, principalmente durante exercícios físicos ou em dias quentes. 

- PUBLICIDADE -


Fonte consultada:
[1] Journal of Clinical Epidemiology

+ artigos

Estudante de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, ama escrever sobre saúde e tem interesse especial por psicologia. Colabora com o Fale Saúde na revisão e criação de conteúdo juntamente com a equipe de médicos editores.

Médico - CRM/SP 157.767 | + artigos

Médico formado pela Santa Casa de São Paulo desde 2012, possui mais de 7 anos de experiência. Especialista em anestesiologia pela Santa Casa de S.J. Rio Preto, com Título de Especialista em Anestesiologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA) - RQE 65.029.


APRENDA MAIS