Remédios para parar de beber: como funcionam e efeitos

Fernando Pereira

Revisão clínica: Dr. Fernando Pereira

Revisado:

Existem vários medicamentos que podem ajudar a parar de beber. Esses medicamentos são prescritos por um médico e devem ser usados ​​em combinação com terapia comportamental para obter melhores resultados.

Aqui estão alguns remédios comuns usados ​​para ajudar a parar de beber:

— PUBLICIDADE —

— PUBLICIDADE —

Naltrexona (ReVia)

A naltrexona é um antagonista opioide que age bloqueando os receptores de opioides no cérebro, o que reduz o prazer associado ao consumo de álcool.

Modo de usar: a dose inicial é de 25 mg por dia, aumentando gradualmente para 50 mg por dia. É tomado por via oral, uma vez por dia.

Efeitos colaterais: náusea, dor abdominal, perda de apetite, dor de cabeça, insônia, ansiedade, irritabilidade e fadiga.

Contraindicações: não deve ser usado por pessoas que estejam usando opioides, que tenham problemas hepáticos ou que estejam grávidas ou amamentando.

Acamprosato (Campral)

O acamprosato ajuda a reduzir os sintomas de abstinência, como ansiedade e irritabilidade, que podem ocorrer quando a pessoa para de beber.

— PUBLICIDADE —

Modo de usar: a dose recomendada é de 666 mg, três vezes ao dia. É tomado por via oral.

— PUBLICIDADE —

Efeitos colaterais: náusea, diarreia, dor abdominal, dor de cabeça, insônia e tontura.

Contraindicações: não deve ser usado por pessoas que tenham problemas renais.

Disulfiram (Antabuse)

O disulfiram bloqueia a enzima que metaboliza o álcool, fazendo com que a pessoa sinta náusea, vômito e outros efeitos desagradáveis ​​se consumir álcool enquanto toma o medicamento.

Modo de usar: a dose recomendada é de 250 mg por dia. É tomado por via oral.

Efeitos colaterais: náusea, dor abdominal, dor de cabeça, insônia, sonolência, erupção cutânea e impotência sexual.

Contraindicações: não deve ser usado por pessoas com problemas hepáticos ou cardíacos graves.

— PUBLICIDADE —

É importante lembrar que esses medicamentos devem ser prescritos e monitorados por um médico. Eles não são uma solução mágica para o alcoolismo e devem ser usados ​​em conjunto com terapia comportamental para obter os melhores resultados.

1. Fiellin DA, Reid MC, O’Connor PG. New therapies for alcohol problems: application to primary care. The American Journal of Medicine. 2000;108(3):227-237. doi:10.1016/S0002-9343(99)00448-9

2. UpToDate. www.uptodate.com. https://www.uptodate.com/contents/approach-to-treating-alcohol-use-disorder

Isso foi útil?
SimNão

— PUBLICIDADE —

— PUBLICIDADE —

APRENDA MAIS

fale saúde

Nosso propósito é descomplicar os temas de saúde para que você possa tomar as melhores decisões na sua jornada para uma vida saudável.

© 2022 - Fale Saúde – Todos os direitos reservados.

Aviso médico: as informações fornecidas neste site visam melhorar, não substituir, a relação direta entre o paciente e os profissionais de saúde.