Fale Saúde » Infecções » Remédios para tratar a infecção urinária

Remédios para tratar a infecção urinária

Ardência ao urinar, ir várias vezes ao banheiro fazer xixi, cheiro desagradável e dores no “pé da barriga”, esses são alguns sintomas que podem indicar uma infecção urinária. Para se livrar desses incômodos, é preciso buscar orientação médica para avaliar qual remédio deverá ser usado no tratamento. 

Também chamada de Infecção do Trato Urinário (ITU), inclui cistite (infecção da bexiga) e pielonefrite (infecção do rim). Nas mulheres, a ITU começa com a colonização da vagina por bactérias ou fungos da flora fecal, seguida pela ascensão através da uretra até a bexiga e, no caso da pielonefrite, os germes chegam aos rins. 

O remédio certo para infecção urinária varia de acordo com o tipo de cada infecção e de sua gravidade. Por isso, é importante a avaliação de um profissional de saúde.  

No entanto, a maioria das infecções do trato urinário é tratada com antibióticos, juntamente com analgésicos e antissépticos. Veja quais são os principais remédios para infecção urinária

remédio para infecção de urina

Antibióticos 

1. Nitrofurantoína 

O uso recomendado desse medicamento costuma ser de 1 cápsula de 100 mg, a cada 6 horas, durante 5 a 10 dias, podendo variar de acordo com orientação médica.  

- PUBLICIDADE -

Os efeitos colaterais tendem a ser cefaleia, náuseas, vômitos, diarreia, dor epigástrica, anorexia ou pneumonia intersticial.  

Ele é contraindicado nos casos de:  

  • insuficiência renal;  
  • mulheres nas últimas semanas da gestação (38 a 42 semanas); 
  • crianças com menos de um mês; 
  • pacientes com hipersensibilidade conhecida à nitrofurantoína ou a qualquer componente da formulação; 
  • anúria (diminuição ou supressão da secreção urinária);  
  • oligúria (baixa produção de urina). 

A ingestão desse remédio, acompanhada de alimentação, reduz a frequência de problemas gastrintestinais. O tempo médio estimado para início de ação da nitrofurantoína é de apenas algumas horas. 

2. Fosfomicina 

A Fosfomicina costuma ter a posologia de uma dose única de 1 envelope (3g), podendo variar de acordo com a gravidade da doença e a critério médico.  

Os sintomas devem desaparecer em 2 a 3 dias após o início do tratamento. Caso não aconteça uma melhora, o médico deverá ser informado imediatamente.  

- PUBLICIDADE -

Os efeitos colaterais podem envolver diarreia, náusea, dispepsia, vulvovaginite, cefaleia e tontura.  

A Fosfomicina é contraindicada nos casos de:  

  • hipersensibilidade à fosfomicina e/ou a qualquer um dos componentes da formulação, 
  • pacientes com insuficiência renal grave, 
  • pacientes submetidos a hemodiálise,  
  • crianças sem orientação médica, 
  • mulheres grávidas sem orientação médica. 

3. Sulfametoxazol + Trimetoprima  

Para a cistite não complicada, a dose recomendada é de um comprimido de dupla resistência (160/800 mg) duas vezes por dia durante três dias para mulheres. Homens devem estender o tratamento para 7 dias. 

Deve ser tomado com 250 ml de água. Pode ser tomado sem levar em conta as refeições. 

Esse medicamento é contraindicado nos casos de: 

- PUBLICIDADE -
  • pacientes com história de hipersensibilidade à sulfonamida ou trimetoprima ou a qualquer um dos componentes da formulação,  
  • bebês prematuros e recém-nascidos durante as primeiras seis semanas de vida, 
  • pacientes com lesões graves do parênquima hepático, 
  • pacientes com insuficiência renal grave. 

Outras opções de remédios / antibióticos para infecção de urina

Se algum fator (como alergias) impedir o uso dos antibióticos de primeira linha acima, a amoxicilina oral é uma opção apropriada, e se a amoxicilina não puder ser usada, ciprofloxacino também pode ser uma alternativa. 

1. Amoxicilina-Clavulanato 

Amoxicilina-clavulanato é comumente prescrito na dose de 500mg, 2 vezes por dia, por 5 dias.  

Os efeitos colaterais são raros, mas quando ocorrem, os principais são: 

  • Diarreia. 
  • Erupção cutânea. 
  • Náusea. 
  • Vômitos. 
  • Vaginite. 
  • Micose vaginal
  • Angústia abdominal. 
  • Flatulência. 
  • Dor de cabeça. 

A amoxicilina-clavulanato é contraindicada nos casos de: 

  • Hipersensibilidade à amoxicilina, ácido clavulanico. 
  • História de icterícia colestática (amarelidão causada por doença das vias biliares). 
  • Doença grave do fígado. 
  • Insuficiência renal grave. 

2. Ciprofloxacino 

A recomendação para o uso de ciprofloxacino nas infecções urinárias não complicadas é: 

- PUBLICIDADE -
  • Um comprimido de 250 mg a cada 12 horas durante 3 dias. 

ou 

  • Um comprimido de 500 mg a cada 24 horas durante 3 dias. 

Efeitos colaterais do ciprofloxacino: 

Graves: 

A classe das fluoroquinolonas, a qual pertence o cirpofloxacino, tem sido associada a reações adversas graves incapacitantes e potencialmente irreversíveis, como tendinopatia e ruptura do tendão, neuropatia periférica e efeitos no sistema nervoso central.  

Interrompa imediatamente a ciprofloxacina se apresentar qualquer um desses efeitos. 

- PUBLICIDADE -

Assim, o ciprofloxacino deve ser reservado para uso em pacientes que não têm opções alternativas de tratamento.  

Miastenia gravis: 

Ciprofloxacino pode exacerbar fraqueza muscular em pacientes com miastenia gravis. 

Quem não deve usar ciprofloxacino: 

  • Pessoas com hipersensibilidade ao cirpofloxacino. 
  • Quem está fazendo tratamento com tizanidina (relaxante muscular). 
  • Gestantes ou que esteja amamentando sem consultar um médico. 

Em casos graves pode ser necessário que o tratamento seja todo administrado no hospital, com uso de antibióticos na veia.  

Analgésicos 

Os analgésicos também fazem parte do grupo de remédios para infecção urinária, e são grandes aliados durante o tratamento porque auxiliam na hora de cessar a dor, ardência e outros sintomas incômodos.  

- PUBLICIDADE -

fenazopiridina costuma ser o principal analgésico receitado pelos médicos, pois, ao atuar no trato urinário, alivia a sensação de dor ao urinar ou aquela queimação chata durante o dia. Pode ser encontrado nas farmácias com o nome de Pyridium ou Uristat 

Antissépticos

Seguindo a lógica dos analgésicos, os antissépticos como metenamina e o cloreto de metiltionínio (Sepurin), ajudam a aliviar a dor e a ardência ao urinar, além de eliminar as bactérias do trato urinário e a auxiliar na prevenção de infecções recorrentes. 

É preciso ficar atento 

Vale ressaltar que tanto o analgésico como os antissépticos não podem substituir o uso dos antibióticos, se assim recomendado pelo médico. Somente ele pode dizer qual o remédio para infecção urinária é indicado para o seu caso, tal como a dosagem e duração do tratamento.  

É preciso seguir o tratamento à risca para evitar complicações sérias da infecção urinária. Caso contrário, há chances de a infecção avançar pelo organismo, causando, assim, problemas mais graves.   

Para prevenir a infecção urinária no caso das mulheres (que são 50% mais suscetíveis à infecção), limpe a região do períneo com o papel higiênico no sentido de frente para trás. Isso porque, se for feito de forma contrária há mais brechas de trazer as bactérias que estão na região intestinal para dentro da vagina.  

- PUBLICIDADE -

Além disso, sempre urine logo depois de uma relação sexual, pois o xixi lava a uretra e ajuda a eliminar bactérias que possam ter entrado durante o ato. 

REVISADO CLINICAMENTE POR DR. FERNANDO PEREIRA
Fontes consultadas:
[1] Clinical Infectious Diseases
[2] UpToDate

+ artigos

Estudante de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, apaixonada por informar sobre saúde e qualidade de vida. Colabora com o Fale Saúde na revisão e criação de conteúdo juntamente com a equipe de médicos editores.

Médico - CRM/SP 157.767 | + artigos

Médico formado pela Santa Casa de São Paulo desde 2012, possui mais de 7 anos de experiência. Especialista em anestesiologia pela Santa Casa de S.J. Rio Preto, com Título de Especialista em Anestesiologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA) - RQE 65.029.


APRENDA MAIS