Fale Saúde » Câncer » O que é câncer? Sintomas gerais, tratamentos e prevenção

O que é câncer? Sintomas gerais, tratamentos e prevenção


Apesar de comum, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o que é o câncer por conta de sua complexidade. No geral, ele é um termo que abrange mais de 100 tipos de doenças malignas, que ocorrem devido ao crescimento anormal e descontrolado das células do corpo.


Essas células cancerosas, que são agressivas e determinam a formação de tumores, podem se espalhar para outras partes do corpo através da corrente sanguínea ou dos vasos linfáticos, o que é chamado de metástase. Por conta disso, é importante diagnosticar e realizar o tratamento quanto antes.


Existem diversos tipos de câncer, onde a doença pode ocorrer em qualquer parte do corpo. No Brasil, de acordo com os dados divulgados em 2021 pelo INCA (Instituto Nacional de Câncer) , os mais comuns no gênero masculino são: próstata; cólon e reto; traqueia, brônquio e pulmão.


Já no gênero feminino, o câncer de mama lidera a tabela, onde também apresenta o maior percentual de mortes, atrás do de cólon e reto, e do colo do útero. Para evitar o avanço da doença, é preciso ficar atento aos sinais que o corpo apresenta.

O que é câncer

Sintomas do câncer

Como falado anteriormente, existem diversos tipos de câncer. Por conta disso, cada caso apresenta sintomas específicos na área afetada. No entanto, há sinais genéricos que o corpo apresenta e que necessitam da devida atenção. Atente-se, caso perceber que está com:

- PUBLICIDADE -
  • Fadiga sem explicação. Sabe aquele cansaço que não cessa, apesar do descanso? É preciso ficar alerta.
  • Caroços e inchaço das ínguas.
  • Mudanças de peso, por mais que não haja intenção de perda ou ganho.
  • Alterações da pele, onde pode apresentar amarelecimento, escurecimento ou vermelhidão na derme.
  • Febre ou suores noturnos persistentes sem causa aparente.
  • Feridas que não cicatrizam.
  • Tosse persistente.
  • Mudanças na bexiga ou intestino.
  • Indigestão ou sintoma de desconforto após realizar uma refeição.
  • Dificuldade ao engolir.
  • Rouquidão persistente e sem motivo aparente.
  • Dor muscular ou nas articulações que não cessa.

Esses são alguns dos sintomas genéricos mais comuns. Apesar da lista ajudar a perceber os sinais iniciais, é preciso sempre lembrar da importância do diagnóstico correto através de um acompanhamento médico.

Crescimento e metástase do câncer

Metástase significa que o câncer se espalhou para uma parte do corpo diferente de onde começou. Quando isso acontece, diz-se que o câncer tem “metástase”. Também pode ser chamado de “câncer metastático”, “câncer avançado” ou “câncer estágio 4”. Mas esses termos podem ter significados diferentes. Por exemplo, um câncer que é grande, mas não se espalhou para outra parte do corpo também pode ser chamado de câncer avançado ou câncer localmente avançado.

Metástases surgem quando as células cancerígenas se desprendem do tumor principal e entram na corrente sanguínea ou no sistema linfático, fazendo com que que as células cancerígenas viagem para longe do tumor original e formem novos tumores quando se instalam e crescem em uma parte diferente do corpo.

Fatores de risco

Fatores externos ou hereditários podem contribuir para o desenvolvimento da doença. É chamado de “fatores de risco” qualquer coisa que aumenta as chances de uma pessoa desenvolver uma determinada doença. Entre eles, estão a idade, hábitos, histórico familiar, condições de saúde e fatores ambientais.

É importante observar estes sinais para a prevenção do câncer. Apesar de haver mais de 100 tipos de câncer, os mais comuns podem surgir após anos de uma exposição única a radiações ionizantes, por exemplo, ou contínua, como é o caso da radiação solar (câncer de pele) ou tabagismo (câncer de pulmão).

- PUBLICIDADE -

Assim como é sempre dito, é importante também manter os hábitos saudáveis. Para isso, é preciso evitar o uso de tabaco e usar camisinha durante as relações sexuais, por conta do HPV, doença sexualmente transmissível que é o principal responsável pelo câncer de colo do útero, vulva, pênis e orofaringe (garganta).

Além disso, usar filtro solar, praticar exercícios físicos, manter uma dieta saudável e se atentar à saúde, realizando um chek-up anual, também são formas eficazes de prevenir o surgimento do câncer.

Opções de tratamento

Graças aos avanços da medicina, diversos tratamentos contra o câncer estão disponíveis. Eles variam conforme o tipo e estágio da doença, podendo haver também a possibilidade de combinar diferentes modalidades.

O médico responsável medirá os fatores para encaminhar o paciente para o melhor método. No geral, costumam ser através de cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou transplante de medula óssea.

Cirurgia

O ato cirúrgico pode ter duas finalidades, sendo a primeira a curativa, quando há detecção precoce do tumor e é visualizado a possibilidade de retirada.

- PUBLICIDADE -

Enquanto a segunda é chamada de paliativa, quando o objetivo é reduzir a quantidade de células tumorais ou controlar os sintomas para melhorar a qualidade de sobrevivência do paciente. A cirurgia também serve para avaliar a extensão da doença.

Quimioterapia

Para este tratamento, é utilizado medicamentos, de forma oral, intravenosa (aplicada na veia), intramuscular (através de injeções no músculo), subcutânea (injeção no tecido gorduroso acima do músculo), intratecal (pela espinha dorsal) ou tópica (líquido ou pomada sobre a pele).

O objetivo é que estes medicamentos se misturem com o sangue e o levem para todas as partes do corpo, a fim de destruir as células doentes que formam o tumor, além de impedir que o tumor sofra metástases.

Radioterapia

Neste tratamento, é utilizado radiações ionizantes, como o raio-x, que destroem ou impedem o crescimento do tumor.

Nos casos em que não é possível ter a cura, a radioterapia ainda assim pode contribuir para a melhoria da qualidade de vida do paciente, já que tende a diminuir o tamanho do tumor e reduz os sintomas.

- PUBLICIDADE -

Transplante de medula óssea

Já este consiste na substituição de uma medula óssea doente por células de medula óssea saudável. As células podem vir do corpo do próprio paciente ou de um doador. O transplante pode ocorrer de forma autogênica, quando vem do próprio enfermo, ou alogênico, através de um doador.

Referências
[1] Folha informativa sobre câncer – OPAS/OMS
[2] Tratamento do câncer – INCA
[3] Testicular Cancer: Risk Factors – ASCO

+ artigos

Estudante de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, apaixonada por informar sobre saúde e qualidade de vida. Colabora com o Fale Saúde na revisão e criação de conteúdo juntamente com a equipe de médicos editores.

Médico - CRM/SP 157.767 | + artigos

Médico formado pela Santa Casa de São Paulo desde 2012, possui mais de 7 anos de experiência. Especialista em anestesiologia pela Santa Casa de S.J. Rio Preto, com Título de Especialista em Anestesiologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA) - RQE 65.029.


APRENDA MAIS