Fale Saúde » Ossos, articulações e músculos » Neuropatia compressiva: problemas mais comuns, causas e tratamentos

Neuropatia compressiva: problemas mais comuns, causas e tratamentos


Como o próprio nome sugere, a neuropatia compressiva é uma condição que afeta o sistema nervoso periférico, causando uma série de sintomas ao paciente e prejudicando a sua qualidade de vida.

Também conhecida como síndrome compressiva, essa patologia pode ser identificada nos membros inferiores, porém é mais comum que ela ocorra no túnel do carpo, que fica localizado no punho, ou no túnel cubital – localizado no cotovelo.

síndrome compressiva túnel do carpo

Entenda a neuropatia compressiva

O sistema nervoso periférico é uma das divisões do sistema nervoso central. Ele liga o cérebro e a medula espinhal aos outros órgãos, por meio dos nervos e dos gânglios nervosos.

A função do sistema nervoso periférico é transmitir informações para o restante do corpo. Porém, alguns danos podem ocorrer nesse sistema, como a neuropatia compressiva. Quando isso ocorre, os nervos perdem a sua capacidade de transmitir e receber mensagens.

O que acontece nesses casos é que algum fator – muitas vezes idiopático, ou seja, que se manifesta naturalmente ou a partir de motivos desconhecidos – causa uma pressão sobre o nervo, desencadeando sintomas, como dores, fraqueza muscular, dormência e formigamento.

- PUBLICIDADE -

Como dito acima, o túnel do carpo e o túnel cubital são alguns dos mais afetados pela síndrome compressiva e não é por acaso, afinal as articulações costumam ser as regiões mais atingidas por esse problema, que também pode ocorrer em virtude de um trauma, cistos ou esporões ósseos.

Síndrome do túnel do carpo

O túnel do carpo é um canal formado por pequenos ossos que ficam localizados na região do punho. Um nervo mediano e nove tendões responsáveis pela flexão dos dedos passam por esse canal.

A síndrome do túnel do carpo, portanto, nada mais é do que a compressão desse nervo mediano, que vem do antebraço, passa pelo canal e se estende pelo polegar, pelas duas faces do dedo indicador e do dedo do meio e também pela face interna do dedo anelar.

Segundo um estudo publicado pela Revista Brasileira de Ortopedia, dentre as neuropatias compressivas, a síndrome do túnel do carpo é a mais frequente, principalmente entre as mulheres na faixa etária dos 40 e 60 anos de idade.

Ainda de acordo com o mesmo estudo, a idade, o sexo, a genética e o tamanho do túnel do carpo podem indicar uma predisposição para o desenvolvimento da síndrome compressiva nessa região. Além disso, as lesões por esforço repetitivo (LER) também podem desencadear esse problema, justamente por isso não é raro que ele seja identificado em profissionais de uma mesma área, como bancários, pessoas que tocam instrumentos musicais e outros trabalhadores que utilizam muito a região dos punhos e dos dedos no dia a dia.

- PUBLICIDADE -

Sintomas da síndrome do túnel do carpo

A síndrome do túnel do carpo causa dores no polegar, indicador, dedo do meio e na metade do dedo anelar. Embora seja menos comum, é possível ainda que o incômodo afete toda a mão do paciente.

Dormência e formigamento também fazem parte dos sintomas e, em alguns casos, podem atingir o antebraço. Além disso, com o passar do tempo e com a falta do tratamento adequado, é possível que os músculos da mão atrofiem, dificultando a realização de movimentos simples do dia a dia.

Tratamento da síndrome do túnel do carpo

Somente um médico pode prescrever o melhor tratamento para a síndrome do túnel do carpo, levando em consideração o quadro de saúde do paciente, os sintomas apresentados e o estágio em que a doença se encontra.

De formar geral, a utilização de uma tala – a fim de manter o punho em uma posição neutra para a descompressão do nervo – e o uso de analgésicos podem apresentar bons resultados para casos mais leves da síndrome. Outra alternativa é a aplicação de corticoides diretamente no punho do paciente.

No entanto, se a síndrome do túnel do carpo estiver em um estágio mais grave de dor, pode ser recomendada a realização de um procedimento cirúrgico, com o intuito de cortar as bandas fibrosas responsáveis por pressionar o nervo mediano.

- PUBLICIDADE -

Síndrome do túnel cubital

O túnel cubital fica localizado no cotovelo e é formado por estruturas ósseas e ligamentares. Pelo seu interior, passa o nervo ulnar, que é responsável por dar sensibilidade ao dedo mínimo e também a uma das faces do dedo anelar. Além disso, ele também inerva a musculatura interna da mão e é responsável pelos movimentos de agilidade desse membro.

Como você já deve imaginar, a síndrome do túnel cubital nada mais é do que a compressão sofrida pelo nervo ulnar, causando uma série de sintomas ao paciente, como dor na parte interna do cotovelo, que pode se estender também para o antebraço; formigamento nos dedos anelar e mínimo; perda da força ou atrofia da mão; falta de sensibilidade e de mobilidade do cotovelo e dos dedos.

Um artigo publicado pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) revela que a síndrome do túnel cubital é a segunda neuropatia compressiva mais comum dos membros superiores, ficando atrás somente da síndrome do túnel do carpo.

Diversos fatores podem contribuir para o desenvolvimento dessa patologia, como fraturas ou luxações no cotovelo, anomalias congênitas, alterações metabólicas ou ainda lesões por esforço repetitivo (LER). No entanto, a causa primária de 10% a 30% dos casos é indeterminada – ainda de acordo com o artigo divulgado pela SBOT.

Tratamento da síndrome do túnel cubital

O tratamento da síndrome do túnel cubital é definido de acordo com o estágio da doença. Normalmente, o que é recomendado pelos especialistas, quando o problema ainda está dando os primeiros sinais, é que o paciente evite flexionar o cotovelo e, consequentemente, comprimir o nervo ulnar. Sendo assim, é altamente recomendado evitar falar ao telefone, apoiar o cotovelo quando ele estiver dobrado ou dormir sobre o braço.

- PUBLICIDADE -

Para a fase inicial da síndrome do túnel cubital também são recomendadas sessões de fisioterapia, medicamentos anti-inflamatórios e o uso da tala noturna que mantém o cotovelo reto.

Em casos que o tratamento conservador não apresenta resultados ou para pacientes que a síndrome do túnel cubital se encontra em estágio avançado, o procedimento cirúrgico para a descompressão do nervo ulnar passa a ser uma ótima alternativa. A cirurgia apresenta poucos riscos e tem aproximadamente 30 minutos de duração.

As neuropatias compressivas têm cura?

Além de causar dor e outros tipos de incômodos, as neuropatias compressivas prejudicam a qualidade de vida do paciente e pode até causar outros tipos de problemas, como ansiedade, por exemplo. Porém, a boa notícia é que é essa patologia tem cura.

Fazendo um acompanhamento médico e seguindo o tratamento indicado, é possível se recuperar completamente da neuropatia compressiva sem qualquer tipo de sequela. Por isso, o recomendado é, diante de qualquer sinal suspeito, buscar a ajuda de um especialista o quanto antes, a fim de ter uma recuperação mais ágil e de evitar o avanço da patologia. 

Referências
[1] Carpal tunnel syndrome – BMJ
[2] Síndrome do túnel do carpo – RBO

- PUBLICIDADE -
Ortopedista - CRM/SP 146.874 | Site | + artigos

Médico formado pela Universidade Federal de Juiz de Fora - MG, inscrito no CRM/SP 146.874. Fez residência médica em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital Ipiranga - SP (RQE 51757), é membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (TEOT 13625). Fellowship em Cirurgia de Ombro e Cotovelo pela Faculdade de Medicina do ABC - SP, também é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo.


APRENDA MAIS