Fale Saúde » Saúde do bebê » Chupeta: mitos e verdades

Chupeta: mitos e verdades

Chupeta atrapalha na amamentação?

O bebê já nasce com o poder de sucção bem acentuado, então oferecer chupeta para ele fará com que confunda o bico dela com o mamilo da mãe, mesmo acalmando o bebê, isso pode causar uma interrupção precoce do aleitamento materno, e o seu uso não trará nenhum benefício nutritivo.

Além disso, o bebê pode permanecer menos tempo mamando, e isso pode fazer com que ele não alcance o leite do final da mamada, que é o leite mais rico em gordura que o saciará por mais tempo.

Com o uso da chupeta o bebê acaba mamando menos vezes por dia, e isso leva a uma diminuição da produção de leite, pois quanto mais ele mamar, mais estímulo a mama recebe para o aumento do leite.

O bebê que acha conforto na chupeta pode se desmotivar a continuar a amamentação, pois de certa forma saciará seu desejo de sucção, que foi naturalmente desenvolvido no bebê para o aleitamento materno espontâneo.

Estudos mostram que uma explicação alternativa é que o uso de chupeta contribui para uma técnica de sucção defeituosa, que por sua vez leva a problemas de amamentação.

- PUBLICIDADE -
chupeta mitos e verdades

Chupeta e a síndrome da morte súbita infantil

Vários estudos encontraram um efeito protetor das chupetas sobre a incidência de síndrome da morte súbita infantil, particularmente quando ela é usada no momento do último sono. Por conta disso, a Sociedade Americana de Pediatria considera oferecê-la ao sono para reduzir o risco de síndrome da morte súbita infantil.

Qual o melhor tipo de chupeta para o bebê?

Vários estudos foram feitos, mas ainda não chegaram a uma conclusão sobre o tipo ideal. Alguns desses estudos trouxeram evidências (mas não muito fortes) que permitem concluir que as chupetas ortodônticas evitam más oclusões em comparação com as convencionais. No entanto, se a criança já apresentar má oclusão, é aconselhável interromper o uso.

Chupeta ou dedo? E agora o que faço?

A vontade de chupar chupetas, polegar ou dedos é uma parte normal do desenvolvimento inicial do bebê. É um comportamento calmante que ocorre em 70 a 90% das crianças, e as crianças que usam chupetas, realmente tem menor probabilidade de sugar o polegar ou os dedos, mas o bebê é bem capaz de saciar esse desejo sem chupeta e sem dedos, somente ao mamar no peito com aleitamento exclusivo.  

Como acalmar o bebê sem chupeta?

O bebê certamente solicitará mamar mais vezes sem a chupeta, mas isso é normal, ele sente mesmo mais vontade de mamar quando ainda é um recém-nascido, com o tempo solicitará menos, e o próprio contato pele a pele ao amamentar já é um calmante natural.

Afinal, dar ou não chupeta para o bebê?

É preciso equilibrar os riscos e benefícios. Caso o bebê esteja amamentando é importante iniciar a introdução da chupeta aproximadamente a partir de 1 mês de idade, pois assim a amamentação já estará estabelecida e o risco dela afetar negativamente a amamentação diminui.

- PUBLICIDADE -

Além disso, também se deve considerar que, além de interferir no aleitamento materno, o uso de chupeta está associado a uma maior ocorrência de candidíase oral (sapinho), de otite média (infecção de ouvido) e de alteração no formato do palato.

Por fim, a decisão de dar chupeta ou não cabe aos pais, mas é importante conversar com o pediatra e informá-lo da decisão, e estar atentos aos sinais que possam indicar algum problema com o uso da chupeta.

Fontes consultadas:
[1] UpToDate
[2] Pediatrics
[3] Ministério da Saúde

Enfermeira - Coren/SP 215332 | + artigos

Enfermeira formada pela Universidade de Santo Amaro desde 2008, possui mais de 12 anos de experiência. Tem vivência em Reabilitação e Cuidados Paliativos e pós-graduação em Enfermagem em Terapia Intensiva.


APRENDA MAIS