Fale Saúde » Ossos, articulações e músculos » Bursite no ombro: o que é, o que causa e como tratar

Bursite no ombro: o que é, o que causa e como tratar


A bursite é um problema que pode afetar qualquer articulação do corpo, porém, em algumas regiões – como nos cotovelos, ombros, quadril e joelhos – ela costuma ser mais comum. Hoje, vamos falar especificamente sobre a bursite no ombro. Saiba mais sobre esse tipo de inflamação e tire todas as suas dúvidas a seguir!

Bursite no ombro

O que é a bursite no ombro?

A bursa é uma pequena bolsa achatada que possui em seu interior o líquido sinovial, um lubrificante que se parece com um óleo. Essa bolsa – que se trata, na verdade, de uma membrana – fica localizada nas articulações do corpo e tem a função de evitar o atrito entre os ossos, os músculos e os tendões.

O corpo humano possui, em média, 70 bursas, porém, algumas têm mais chances de inflamarem do que outras, como aquelas que ficam localizadas nos ombros, por exemplo. O que acontece em grande parte dos casos é que o movimento repetitivo realizado por essa articulação acaba causando a bursite, que nada mais é do que a inflamação da bursa. É por isso que esse é um problema comum entre nadadores, jogadores de vôlei, professores, praticantes de musculação, pintores, entre outros.

Diversos tipos de bursite podem afetar os ombros, no entanto, a mais comum é subacromial, que atinge a bursa subacromial subdeltoidea. Segundo um artigo publicado pela revista digital EFDesportes, esse tipo de bursite pode acometer tanto homens quanto mulheres de qualquer idade e é um dos principais motivos pelos afastamentos do trabalho.

Bursite X Tendinite: qual a diferença?

Para a grande maioria das pessoas, dor no ombro é sinal de bursite ou tendinite. Muitas delas, no entanto, não sabem exatamente o que são essas inflamações e a verdade é que, embora tenham causas e sintomas bastantes parecidos, elas são problemas distintos.

- PUBLICIDADE -

A bursite, como explicado acima, é uma inflamação que atinge a bursa, enquanto a tendinite é uma inflamação que atinge os tendões. Para ter um diagnóstico correto, é necessário consultar um médico especialista, que irá indicar o tratamento mais adequado para cada tipo de caso.

É importante destacar que, se a tendinite não for corretamente tratada, ela pode causar a bursite. Por isso, a avaliação e o acompanhamento médico são indispensáveis para pacientes que sofrem com qualquer um desses problemas.

Quais são as causas da bursite no ombro?

Embora os movimentos repetitivos sejam a causa mais comum da inflamação da bursa, eles não são os únicos responsáveis por essa patologia. Quedas e outros tipos de traumas também podem contribuir para o aparecimento da bursite no ombro.

Além disso, há ainda algumas doenças inflamatórias que podem estar associadas a esse problema, como lúpus, artrite reumatoide, gota, polimialgia reumática, artrite psoriática, entre outras.

Principais sintomas da bursite no ombro

A dor é, sem dúvidas, o sintoma mais comum da bursite. Normalmente, ela começa na parte superior do braço e pode irradiar até o cotovelo. Outra caraterística comum é que, no início, ela costuma ser mais leve, porém, com o passar dos dias ou das semanas, vai se tornando mais intensa, ao ponto de gerar incômodo até mesmo quando o braço está em repouso.

- PUBLICIDADE -

Outro sintoma bastante comum é a restrição dos movimentos, que, além de dificultar a realização de atividades simples do dia a dia, também pode causar problemas ainda maiores, como a capsulite adesiva, conhecida também como a “síndrome do ombro congelado”.

O que fazer para aliviar a dor de bursite no ombro?

A primeira coisa a se fazer se estiver com bursite no ombro é procurar a ajuda de um médico especialista para que seja feito o diagnóstico correto e, então, o paciente possa adotar as medidas adequadas para aliviar a dor e tratar o problema.

Para certificar-se de que o incômodo se trata realmente de um caso de bursite, o médico irá fazer um exame clínico cuidadoso e poderá solicitar também que seja realizada uma radiografia, uma ecografia ou até uma ressonância magnética, para que possa excluir outras possíveis causas da dor e ter uma visão mais clara sobre a situação do ombro inflamado.

Caso os exames confirmem que o problema se trata realmente de uma inflamação na bursa, o paciente poderá ser encaminhado às sessões de fisioterapia, que são essenciais não apenas para manter a função articular, mas também para aliviar a dor e evitar que o problema se agrave para um quadro de capsulite adesiva.

Além disso, em casos em que a dor do paciente é muito aguda, o médico ortopedista de ombro ainda pode indicar a infiltração ou injeção local de corticosteroides para aliviar o incômodo e ter um resultado mais rápido do tratamento.

- PUBLICIDADE -

Qual remédio é bom para bursite?

Além de todas as alternativas mencionadas acima, é comum que os médicos receitem analgésicos e anti-inflamatórios para aliviar a dor e diminuir a inflamação da bursa. O ibuprofeno, diclofenaco e o naproxeno costumam ser medicações bastante prescritas para esse tipo de caso.  

Além de fazer uso dos remédios orais, uma alternativa para o alívio do incômodo é a aplicação de cremes e géis sobre o ombro inflamado. Porém, é importante não se automedicar e sempre buscar a orientação médica para que seja prescrito o medicamento certo e a forma correta de utilizá-lo.

Junto ao uso dos remédios, o paciente será orientado também a repousar o ombro lesionado e fazer compressas de gelo, que ajudam no alívio da dor e na diminuição do inchaço da região inflamada.

É necessário fazer cirurgia para tratar a bursite no ombro?

A cirurgia é a última alternativa para o tratamento da bursite no ombro. Normalmente, esse procedimento só é utilizado para casos crônicos ou para situações em que as demais alternativas não apresentam um resultado eficiente para o alívio do problema.

Durante a cirurgia, é retirada a bursa inflamada para que uma nova membrana – com menos chances de desenvolver a bursite no ombro – se forme no local. Para isso, é utilizada a artroscopia, uma técnica minimamente invasiva, que, além de expor o paciente a uma agressão mínima, ainda contribui para um pós-operatório mais tranquilo e uma reabilitação mais rápida e fácil.

- PUBLICIDADE -

Fontes consultadas:
[1] Subacromial Bursitis – NCBI
[2] Rotator cuff lesions with shoulder stiffness: updated pathomechanisms and management – PubMed

Ortopedista - CRM/SP 146.874 | Site | + artigos

Médico formado pela Universidade Federal de Juiz de Fora - MG, inscrito no CRM/SP 146.874. Fez residência médica em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital Ipiranga - SP (RQE 51757), é membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (TEOT 13625). Fellowship em Cirurgia de Ombro e Cotovelo pela Faculdade de Medicina do ABC - SP, também é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo.


APRENDA MAIS