Fale Saúde » Saúde do bebê » 30 semanas de gestação

30 semanas de gestação: o bebê, sintomas e exames

Autor(a): Dr. Fernando Pereira

Revisado:

30 semanas são quantos meses?

30 semanas de gestação corresponde a 7 meses de gravidez. Nesta fase, o crescimento do bebê é bastante acelerado, e por isso é normal que a mulher sinta sua barriga mais pesada, e ficando cada vez mais aparente.

Em resumo, a 30ª semana de gravidez equivale a:

— PUBLICIDADE —

  • 7 meses e 3 semanas;
  • 204 a 210 dias de gravidez;

Abaixo, o Fale Saúde explica as principais mudanças que acontecem com o bebê e com a mãe, e quais exames complementares são indicados para monitorar a saúde da mulher e de feto.

O bebê com 30 semanas de gestação

O bebê de 30 semanas tem aproximadamente 40 centímetros de comprimento e pesa em torno de 1,5 kg. Isso é aproximadamente do tamanho de um repolho.

O cérebro e o sistema nervoso estão quase maduros. O bebê ganha gordura sobre a pele, o que faz com que fique mais redonda e menos quebradiça, e também é importante para regular a temperatura corporal, principalmente depois que sair da barriga da mãe.

Com 7 meses, o bebê desenvolve sensibilidade ocular. A partir daí, o feto consegue diferenciar claro e escuro e responde aos diferentes estímulos de luz jogados sobre a barriga da mãe.

Além disso, apesar de ainda não ter domínio total sobre suas mãos, o pequeno já consegue segurar o cordão umbilical e puxar os seus cabelos.

O único sabor que experimentou por enquanto é o do líquido amniótico, que mede 1 litro nesta etapa da gravidez. No entanto, conforme o bebê cresce, a quantidade do líquido diminui, dando espaço ao seu corpinho.

— PUBLICIDADE —

Aliás, conforme o espaço no útero vai ficando menor, o bebê se movimenta menos e começa a procurar à posição cefálica (ou seja, de cabeça virada para baixo e joelhos dobrados). Assim, com 30 semanas, o bebê muda de posição e passar a ficar de cabeça para baixo, que é a posição ideal para o trabalho de parto.

Também é neste período que o feto está com suas unhas quase desenvolvidas.

Caso nasça com 30 semanas, ele possui boas chances de sobreviver, mas é considerado prematuro.

Como os pulmões e sistema imunológico não estão completamente formados, ele pode ter que ficar algum tempo em uma incubadora no hospital até que se desenvolva completamente.

Sintomas com 30 semanas de gestação

A partir de 30 semanas de gestação, a mulher começa a sentir os primeiros sinais de que o parto se aproxima. Então veja os principais sintomas físicos e psicológicas:

Mudanças no corpo da mãe

No sétimo mês, as grávidas ganham entre 1,5 e 2 quilos, em média e é normal que ganhe por volta de 500 gramas por semana.

Com o crescimento acentuado da barriga, a mãe pode começar a sentir mais dificuldade para respirar, por conta da pressão no diafragma exercida pelo bebê no útero.

Devido a esta posição do bebê, é possível que a gestante sinta mais vontade de urinar, e sinta desconforto ao acumular muito volume de líquido na bexiga.

— PUBLICIDADE —

Outra queixa frequente com 30 semanas de gestação é a de insônia. Embora esteja mais cansada e indisposta, pode ser difícil encontrar uma posição agradável para dormir, sem falar da ansiedade que acompanha a proximidade da chegada do bebê.

Neste caso, a posição mais indicada para deitar é virada para o lado esquerdo, porque assim não comprime a veia cava e garante uma melhor circulação de sangue e, consequentemente, uma melhor oxigenação do bebê.

Outras dicas úteis são utilizar travesseiros em lugares estratégicos (como embaixo da barriga para aliviar o peso e entre as pernas) e continuar praticando exercícios físicos, desde que haja autorização médica para isto e que não sejam feitos perto da hora de dormir.

As dores lombares e pélvicas também podem ficar mais fortes a partir do terceiro trimestre.

Outro incômodo comum é a prisão de ventre, que pode se agravar, fazendo com que o aparecimento de hemorroidas seja bastante frequente.

Por conta da pressão sobre os vasos sanguíneos, ainda é possível que varizes na região das pernas se tornem mais frequentes. 

Como a gestante se sente

O processo da gestação é único para cada mulher, então o que uma grávida sente, pode ser que outra não sinta. No entanto, o sentimento que predomina com 30 semanas de gestação é o de ansiedade.

Isso é compreensível, pois a chegada do bebê muda a rotina da família. E a futura mamãe fica sem sua zona de conforto.

— PUBLICIDADE —

As sensações neste período deixam a gestante confusa. Então é possível que ela alterne entre a vontade de encerrar a gravidez e conhecer o filho e a vontade de prolongar o período e adiar as adaptações em sua vida.

Além disso, as variações de humor também aparecem com mais frequência e, com elas, uma maior sensibilidade.

A mulher pode sentir mais tristeza, chorar mais e preferir ficar mais introspectiva. Entretanto, é importante ficar atenta. Caso a sensação aumente, fale abertamente com sua rede de apoio e busque acompanhamento terapêutico caso seja necessário.

Sinais de bem-estar do feto

O ganho de peso conforme o esperado é um sinal positivo. Embora possa sentir menos os movimentos do que antes, notar o bebê se mexendo dentro da barriga — inda que acompanhado de pequenos tremores — também é um indicativo de seu bem-estar.

No começo da 30ª semana, é possível que a mãe sinta as chamadas contrações de Braxton Hicks ou “contrações de treinamento”. Elas estão geralmente relacionadas com a movimentação do bebê e, ao contrário das que ocorrem no trabalho de parto, não costumam ser dolorosas, são mais esporádicas e duram menos tempo.

Exames com 30 semanas de gestação

Além das consultas de rotina com o médico obstetra, que ajudarão a mãe a acompanhar o ganho de peso, o desenvolvimento do feto (sua posição, batimentos cardíacos, etc.) e se há o risco de nascer antes do previsto, outros exames complementares podem ser indicados pelo especialista:

  • ultrassom morfológico: realizado entre as 28 e 32 semanas de gestação, ele avalia as partes do corpo do bebê e, caso seja feito com a tecnologia Doppler, consegue avaliar o fluxo sanguíneo e como está o cordão umbilical.
  • triagem de estreptococo beta-hemolítico: análise laboratorial colhe amostras de secreções da mãe para identificar a existência de uma infecção causada pela bactéria estreptococo do grupo B, que pode ser transmitida para o bebê ao nascimento e causar perigo a sua saúde.
  • perfil biofísico fetal: avalia os movimentos do bebê em caso de gestações de alto risco
  • triagem para infecções sexualmente transmissíveis (IST): investiga HIV, sífilis.
  • amniocentese: pode ser realizada desde a 13ª semana para avaliar anormalidades genéticas no feto
  • teste de Coombs: indicado quando a mãe tiver sangue com fator Rh negativo e o pai positivo.

Em todo o caso, o ideal é conversar com o médico obstetra, para que ele avalie o andamento da gestação e oriente nas consultas pré-natais sobre quais exames devem ser realizados em cada momento.

1. UpToDate. Uptodate.com. Published 2019. https://www.uptodate.com/contents/prenatal-care-second-and-third-trimesters

2. Prenatal care: 3rd trimester visits. Mayo Clinic. https://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/pregnancy-week-by-week/in-depth/prenatal-care/art-20045660

Receba nossa newsletter

Cuide de si com dicas de alimentação, saúde e muito mais!

Sucesso! Seu e-mail foi cadastrado, e agora você já pode receber novidades do Fale Saúde!

Desculpe! Um erro aconteceu.

— PUBLICIDADE —

APRENDA MAIS

Quem SomosContatoMissãoPrivacidadeTermos
Siga-nos: PinterestInstagramFacebookTwitter
© 2022 - Fale Saúde

Aviso médico: as informações fornecidas neste site visam melhorar, não substituir, a relação direta entre o paciente e os profissionais de saúde.